BERNARD

Bernard saiu embriagado da discoteca. Um gato preto surgiu numa rua escura. Bernard, praticamente, só lhe viu os olhos. Os olhos de gatos pretos, em ruas escuras, são uma motivação excelente para se correr. Bernard correu, desenfreado, com medo do incerto.

Porque corria afinal? Certo era, que nem isso sabia. Mas o gato lembrara-o das bruxas, da inquisição, das perseguições e das fogueiras que teimaram matar inocentes, durante séculos.

Vou levar o gato para casa, pensou Bernard, enquanto voltava para a rua escura.

Vários outros bêbados corriam, fugindo do incerto, como se o incerto os fosse apanhar. Bernard pegou no gato: vou chamar-te Incerto, porque fazes os bêbados correr para locais aleatórios. É incerto que o leves, esse gato é meu, disse uma voz: era Cassandra.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: