YULIANNA

Yulianna era extremamente bem-disposta e divertida, numa autenticidade que alguns consideravam não passar da mais pura ingenuidade. Talvez se deva lamentar a existência de perigos numa personalidade que se desenvolve sincera e bondosa, como se houvessem muitos lobos sádicos, infiltrados neste rebanho, à procura de uma oportunidade para atacar uma presa que eles nem conseguiriam devorar por já estarem de estomago cheio. Pobres lobos – alvos de metáforas –, nem eles atacam só para abater, fazem-no, somente, por instinto de sobrevivência, para não morrerem à fome.                

Era de noite: foi comprar drogas a Zack, que era o seu traficante de eleição. Comprou-lhe drogas e uma massagem aos pés, visto que Zack era um traficante com mãos de massagista. No final, Yulianna disse-lhe que ele devia deixar de vender droga e abrir um centro de massagens, já que que era menos ilegal. Zack concordou, porque sabia que ela tinha razão, mas a rapariga sabia que ele não iria deixar o mundo da venda de drogas, tal como ela não iria parar de consumir, como se daí viesse o alimento para a sua bondade.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: